© istock/ mikolajn
© istock/ mikolajn

Apreciar a natureza no Rio: Parque Lage

5 minutos de leitura

Esta é uma história traduzida com a ajuda da tecnologia.

Este texto foi traduzido para Português a partir do original em English

A cidade do Rio de Janeiro é um destino turístico bem conhecido no mundo. Mais conhecida por suas belas praias, monumentos, arquitetura e cultura, o Rio também tem um papel importante na preservação da natureza. Não muito longe de Ipanema, após a Lagoa Rodrigo de Freitas, encontra-se o bairro chamado Jardim Botânico, que tem a maior parte de seu território coberto pela Floresta da Tijuca, uma Mata Atlântica Tropical bem preservada no litoral brasileiro. Este bairro abriga dois grandes e vitais parques: o Jardim Botânico do Rio de Janeiro e o Parque Lage, um dos lugares mais bonitos de toda a cidade. Neste artigo, vou guiá-los através do meu favorito, o Park Lage.

Parque Henrique Lage, Rio de Janeiro
Parque Henrique Lage, Rio de Janeiro
Parque Lage - R. Jardim Botânico, 414 - Jardim Botânico - Jardim Botânico, Rio de Janeiro - RJ, 22461-000, Brasil
Ipanema, Rio de Janeiro
Ipanema, Rio de Janeiro
Ipanema, Rio de Janeiro - RJ, Brasil
Atlantic Avenue (Copacabana), Rio de Janeiro
Atlantic Avenue (Copacabana), Rio de Janeiro
Av. Atlântica, Rio de Janeiro - RJ, Brasil

História

A história do Parque Lage começa em 1811, quando Rodrigo de Freitas adquiriu uma fazenda de açúcar antes pertencente a Sebastião Fagundes Varela, às margens da lagoa (que mais tarde seria batizada com o seu nome). Em 1859, o local foi comprado por Antônio Martins Lage, e recebeu o nome de "Parque dos Lage", que, mais tarde, em 1900, passou a seus três filhos como herança. Em 1913, a fazenda foi comprada pelo Dr. César de Sá Rabello, permanecendo como sua propriedade até o ano de 1920, quando Enrique Lage, neto de Antônio Martins Lage, conseguiu recuperar a antiga propriedade da família.

© iStock / rezendeluan
© iStock / rezendeluan

Na década de 1920, Henrique iniciou a construção do palácio, convidando o arquiteto italiano Mario Vodret como designer do palácio que havia sido de seu pai. O novo estilo misturou diferentes tendências da época, enquadrando suas obras no período da arte que se chamava 'eclético'. O mito em torno do palácio diz que Henrique construiu o palácio para agradar à cantora lírica italiana, Gabriella Besanzoni, com quem ele se casaria anos depois. Por causa disso, hoje o lugar é famoso pelas celebrações e propostas de casamento.

O que fazer lá

Actividades ao ar livre e de lazer

Você pode desfrutar da sua visita e fazer várias atividades externas - ou você pode simplesmente ir até lá para passear. Isso porque o parque é um excelente lugar para o lazer. Apesar da incrível vista da Estátua do Cristo, o parque também o leva de volta no tempo e o traz diretamente ao início do século 20. Você vai se surpreender de se ver dentro de uma grande floresta no meio de uma grande cidade como o Rio de Janeiro.

Uma pausa relaxante para o café e uma sessão fotográfica

Algumas pessoas vão ao parque apenas para uma tarde tranquila no refeitório, o que eu recomendo vivamente, mas algumas outras também vão lá para um passeio: por razões de segurança, faça isso em grupo ou com a visita guiada. É muito normal ver pessoas a tirar fotografias ou a utilizar o local para fazer sessões fotográficas profissionais.

© iStock / Aleksandr Vorobev
© iStock / Aleksandr Vorobev

Comendo com uma vista

Para tirar o máximo proveito desta experiência, tente ir lá pela manhã. Como a cafeteria abre cedo, você pode começar com um saboroso café da manhã colonial completo (é um pouco caro, mas vale todo o custo). Dentro do palácio, você pode reservar uma mesa à beira da piscina e ter uma boa refeição, com vista para a Estátua do Cristo - esta é uma das melhores experiências que você pode ter no Rio, na minha opinião.

Um lago artificial e o aquário

Depois do incrível café da manhã, explore o parque. Lá você também encontrará uma casa de aquário na forma de uma caverna artificial. Há peixes de várias espécies, tanto domésticos como estrangeiros, que podem ser vistos no local. Ao caminhar dentro do pequeno edifício, você tem a sensação de estar dentro de uma caverna, com pequenas janelas de vidro que se abrem para as inúmeras exposições do aquário. O aquário está perfeitamente integrado com os jardins simulando formas naturais, todos rodeados por plantas, árvores e caminhos sinuosos, compondo um cenário de rara beleza.

© iStock / Everton Leite
© iStock / Everton Leite

Caminhadas

O parque tem várias trilhas, mas a mais famosa te leva até a estátua do Cristo Redentor. Tenha em mente que a dificuldade é de nível moderado, mas a trilha é bem marcada. No entanto, o meu conselho aqui é contratar um guia profissional. Você pode encontrar este serviço no local, mas é melhor agendá-lo online antes de visitá-lo.

© iStock / Everton Leite
© iStock / Everton Leite

Como chegar lá

Chegar ao Park Lage não é difícil, principalmente porque está localizado no coração da cidade. Dependendo de onde você ficar, você pode até mesmo ir a pé até ele. Como o parque está localizado no bairro Jardim Botânico, há muitas opções públicas para levá-lo até lá.

© iStock / mikolajn
© iStock / mikolajn

Se você for de carro (meu conselho aqui é para evitar ir de carro), lembre-se que o Parque não oferece estacionamento. Portanto, você terá que deixar o carro nas ruas da Rua Jardim Botânico: tenha em mente que algumas pessoas que se chamam guardas de ponto (não-oficiais) vão cobrar apenas para parar o seu veículo na rua.

Na minha opinião, o ônibus público é a opção mais barata, mais fácil e melhor para se chegar ao parque. Se essa é a sua opção, basta pegar qualquer ônibus que passe pela "Rua Jardim Botânico". A região tem vários ônibus circulares. Por exemplo, se você estiver em Copacabana, Ipanema ou Leblon, há as linhas "Troncal 10" e "Circular" 1 e 2 que passam por lá. Para quem vem da "Barra da Tijuca", você pode pegar a linha 309, e do centro da cidade, o melhor seria pegar o metrô. Se você estiver localizado mais longe na Zona Norte da cidade, ou no centro da cidade, a melhor opção é pegar o metrô com destino à Estação Botafogo e de lá pegar o ônibus para Gávea. O ônibus passa em frente ao Park Lage.

Horário de abertura e preços

O parque funciona diariamente das 8h às 17h, e no verão, funciona até as 18h. No entanto, as galerias de arte e a Escola de Artes Visuais estão abertas de segunda a quinta-feira, das 9h às 19h. Na sexta-feira, sábado e domingo, só funcionam até às 17h. A cafeteria, que também está localizada na mansão Park Lage, está aberta diariamente das 9h às 23h. A entrada é gratuita, apenas se você quiser uma visita guiada: o custo do guia em inglês é de cerca de 40 reais por pessoa (cerca de 8 euros), e normalmente o passeio leva uma hora.

Espero que você aprecie a natureza no Park Lage, um dos meus lugares favoritos na incrível cidade do Rio de Janeiro.


O autor

Fabio Jardelino

Fabio Jardelino

Nasci em uma cidade grande no Brasil, chamada Recife, mas percebi que não era grande o suficiente para mim. Morei no Brasil, depois no exterior e atualmente estou na Europa, mas sempre que tenho chance, volto ao Brasil para curtir meu maravilhoso país. Além disso, quero dar um pouco dessa experiência brasileira para vocês, através de meus artigos e fotos.

Histórias de que também poderá gostar