Doces de pessoas com sotaque doce

2 minutos de leitura

Esta é uma história traduzida com a ajuda da tecnologia.

Este texto foi traduzido para Português a partir do original em English

Se gosta de doces e está interessado em novos sabores, aconselho-o a visitar a Sheki. É uma cidade onde você pode encontrar diferentes tipos de doces, pratos e desfrutar da beleza da natureza.

A cidade é famosa por sua culinária, especialmente os doces. A mais popular é uma halva especial que você pode encontrar apenas aqui. Na verdade, a halva é um prato bem conhecido dos países orientais, mas a halva Sheki difere de todos os outros com o seu sabor e procedimento culinário. Este doce contém nozes, nozes, manteiga, açúcar, especiarias, farinha de arroz e é extremamente doce. O açafrão dá um sabor específico à halva, o que o torna ainda mais delicioso.

Além da halva, há um doce chamado bamiya (quiabo), pois parece quiabo. Bamiya é tão doce como a halva e às vezes até mais doce que ela. É feito de farinha, açúcar, baunilha, leite, ovos, óleo, canela e açafrão.

A loja mais famosa para comprar halva, bamiya e outros doces em Sheki é a "Aliahmed Sweets", que está localizada no centro da cidade e se tornou uma marca em seu negócio local.

Além dos doces, a Sheki tem um prato especial chamado Piti. Ingredientes incluem cordeiro, nozes, que são constantes, mas a batata ou marmelo difere para o gosto. É cozido numa panela de barro e demora muito tempo.

A melhor coisa destas coisas saborosas é o seu preço barato. Você pode obter os melhores gostos com o menor custo.

Além disso, o sotaque do povo Sheki difere do sotaque de outras pessoas no país. Estas pessoas são muito hospitaleiras e famosas pelo seu sotaque doce. Talvez esta seja a razão pela qual eles fazem muitos doces.

Sheki está esperando por você com toda a sua hospitalidade, pessoas bonitas e muitos gostos deliciosos.


O autor

Nilufar

Nilufar

Eu sou Nilufar, do Azerbaijão, e adoraria ser inspirador para viajantes que desejam descobrir meu país e viver uma experiência extraordinária.

Histórias de que também poderá gostar