Cover Picture © flickr/ Leandro Neumann Ciuffo
Cover Picture © flickr/ Leandro Neumann Ciuffo

Através das minas de ouro de Ouro Preto, Brasil

3 minutos de leitura

Esta é uma história traduzida com a ajuda da tecnologia.

Este texto foi traduzido para Português a partir do original em English

No coração do estado de Minas Gerais, Brasil, você encontrará uma cidade amplamente conhecida por ser a maior fonte de ouro de Portugal durante os séculos XVIII e XIX: Ouro Preto. Esta cidade, cujo nome pode ser traduzido como "ouro negro", ainda atrai muitos estrangeiros e turistas nacionais, por suas belas paisagens, natureza e suas minas de ouro.

© iStock/ nok6716
© iStock/ nok6716

Cerca de 650 toneladas de ouro foram extraídas nos últimos quatro séculos em Ouro Preto e alguns historiadores brincam que a cidade é como "queijo suíço": sob as casas antigas, há centenas ou talvez milhares de túneis estreitos e sufocantes. Nesses lugares, adultos e crianças tinham que trabalhar dia e noite, às vezes até mesmo doentes e famintos, para extrair ouro que hoje em dia decora igrejas no Brasil e na Europa.

Portanto, uma visita às minas de ouro no Brasil é mais do que um passeio regular; é um momento para refletir sobre nosso passado, nosso presente e algumas feridas de nossa sociedade que ainda precisam ser curadas. Nesta história, apresentarei as seis minas que estão oficialmente abertas para visitas, para que você possa ter diferentes opções para aproveitar melhor o seu passeio a Ouro Preto.

1. Mina da Passagem - a maior mina visitável

Cerca de 35 toneladas de ouro foram extraídas desta mina durante a primeira metade do século XIX e até 1985, quando foi oficialmente fechada. É uma mina de 30 km, cheia de túneis e grandes salões que a tornam a maior do mundo aberta aos turistas. Durante a visita, as pessoas são levadas a 120 metros de profundidade para um passeio de 45 minutos em pequenos carrinhos para que possam ver as cavernas e os lagos formados pela água mineral.

2. Mina du Veloso - a mina explorada por crianças

De 1761 a 1819, o coronel José Veloso do Carmo possuía 220 escravos e as terras que hoje integram o bairro de São Cristóvão. Esta mina de ouro tem 500 metros de comprimento, cheia de túneis estreitos que só as crianças podiam entrar, por isso os turistas só podem visitar metade do espaço. No entanto, vale a pena visitar: há um salão cheio de estalagmites, um poço com água transparente e não potável e plantas que se elevam das rochas. A natureza é exótica, a história é chocante, e a visita leva apenas 30 minutos.

3. Mina do Chico Rei - quando um escravo livre dirige a mina

Fica muito perto da praça principal da cidade, a Praça Tiradentes, para que você possa terminar facilmente o seu passeio com esta visita. O fato interessante deste lugar é que um dos escravos que ali trabalhava, Chico Rei, conquistou sua liberdade e comprou a mina. Mais tarde, com o ouro que extraiu, ele também pagou pela liberdade de outros escravos e se tornou uma pessoa muito respeitada em Ouro Preto. A igreja de Santa Efigênia foi construída com ouro desta mina.

©  iStock/ Heavenlyphoto
© iStock/ Heavenlyphoto

4. Mina do Jeje - a mina claustrofóbica

Esta mina de ouro tem 160 metros de comprimento, mas os visitantes só podem caminhar até o primeiro salão. Suas operações ocorreram basicamente durante o chamado "Ciclo do Ouro", no século XVIII, quando a maior parte do ouro levado para a Europa foi extraído do Brasil. Os visitantes podem caminhar na mina usando um capacete especial e seguindo o guia turístico nos caminhos iluminados. Embora possa ser claustrofóbico, a visita leva cerca de meia hora e é segura.

5. Mina Velha - uma das minas mais antigas

Felipe dos Santos, que participou de uma rebelião contra a coroa portuguesa, era o dono desta mina, por isso também é conhecida como Mina Felipe dos Santos. Localizada no sítio arqueológico do bairro Padre Faria, é uma das mais antigas minas de ouro do Brasil, provavelmente desde 1704. A visita leva apenas 15 minutos, e há uma pequena mas bela cachoeira lá dentro.

6. Mina Santa Rita - a mina sem fim

É quase tão antiga como a Mina Velha, como foi inaugurada na primeira metade do século XVIII. Até agora o fim de seu labirinto nunca foi encontrado, então apenas 115 metros de túneis estreitos estão abertos para visitas, que levam aproximadamente 30 minutos.

Como há muitas minas, você provavelmente poderia escolher uma que você acha mais interessante e se preparar para um tipo especial de passeio. A história de Minas Gerais ainda está profundamente ligada às atividades de mineração, e os danos não se restringem apenas ao meio ambiente. Este ano a ruptura da barragem de Brumadinho matou 247 pessoas, e em 2015 a ruptura da barragem de Mariana matou 19 e destruiu um dos rios mais importantes do Brasil, o Rio Doce.

Visitar uma antiga mina é uma boa maneira de repensar o valor do ouro, da vida e da natureza.

 ©  iStock/ Paulo Arsand
© iStock/ Paulo Arsand

O autor

Romara Chaves

Romara Chaves

Sou um criador de conteúdos que também é apaixonado pelas artes e pelas viagens. Nasci no estado de Minas Gerais, Brasil, mas também passei muito tempo com a minha família no Espírito Santo. No Itinari, vou mostrar-vos como estes dois estados são lindos!

Histórias de que também poderá gostar